• Se você nasceu entre 79 e 94 faz parte da Geração Y: Mas, afinal, o que isso significa?

    Imagem reprodução do site Consumidor Moderno

     

    Mimados, impacientes, digitais. As generalizações em torno da Geração Millennial se amplificam, e o mercado esquece que uma geração é formada por nuances que vão além da idade. Envolvem contextos, acessos e escolhas humanas – que por si só são únicas. Para desmistificar a visão do Millennial debatido em rodas de negócios, o antropólogo Michel Alcoforado, CEO da Consumoteca, conduziu estudo qualitativo em três capitais do País para entender quem é esse tal Millennial, estabelecendo três perfis:

    O estudo identificou três perfis básicos dessa geração que está mudando tudo. Confira.

     

    1. O focado

    Ele tem como mantra a qualidade de vida. Eles trazem um padrão de estilo de vida parecida com a Geração X e acreditam de verdade no “Work hard. Play hard”. “Ele acredita que precisa trabalhar muito desde que ele tenha um sofá maravilhoso quando chegar em casa. E isso leva a uma expectativa diferente”, afirmou o antropólogo.

    Aqui o sucesso profissional é o que conta. Segundo o estudo, 41% dos “focados” acreditam que o salário deles vai dobrar em cinco anos e 58% acreditam que vão crescer e ter sucesso nos próximos anos dentro da área de atuação. “Eles acreditam que sofrem agora, mas que o beneficio vai chegar”, disse.

    Neste perfil, o consumo é uma retribuição do esforço no trabalho. É o perfil que gosta de ostentar nas redes sociais as viagens que faz, os restaurantes e os lugares que frequenta. No trabalho, ele pensa que é dono – é o grande representante do intraempreendedorismo.

     

    2. O equilibrado

    Para eles, o caminho é mais importante do que chegar. “O grande objetivo da vida desse cara é a busca por propósito e trabalho tem de levar seu estilo de vida em consideração”, afirmou. Esse é o perfil que busca equilíbrio entre a vida pessoal e o trabalho – essa busca representa 54% dos “equilibrados”. É também a geração da vida saudável. “O principal objetivo é ter uma vida estável e segura, que representa uma renda mensal que dá conta dos gastos. Mais ganhos além disso para ele não importa”, afirmou.

    O equilibrado busca a profissão dos sonhos e continuam estudando para garantir a estabilidade de vida deles. É o perfil mais propenso a largar o emprego para empreender a fim de realizar seu propósito de vida. É o perfil que busca experiência em tudo o que faz.

     

    3. O Altruísta

    Para o Millennial altruísta o que importa é o mundo. É o perfil que abdica da própria vida em prol de uma causa. “O objetivo dele é deixar uma marca no mundo e se não for assim não serve para ele”, afirmou Alcoforado. A busca desse jovem é criar impacto no mundo, segundo 40% dos jovens desse perfil. Aqui, o ativismo é muito importante. Para eles, trabalho tem de ser a realização. De acordo com o estudo, 64% dos altruístas desejam ter uma vida segura e estável.

     

    Outra pesquisa na América latina demonstrou os pensamentos da Geração Y

     

    A geração Millennial não quer esperar por soluções para os problemas que enfrentam: 77% dos entrevistados concordam que precisam construir seu próprio caminho para o sucesso, sem depender de terceiros, enquanto 75% querem abrir seu próprio negócio. É o que indica o estudo encomendado pela Mastercard, apresentada durante o fórum de inovação da empresa para a América Latina e Caribe, que ocorreu em Miami.

    Em pesquisa foi realizada pela Harris Research com 800 pessoas, nascidas entre 1979 e 2004, no Brasil, Colômbia e México. A ideia era descobrir o que motiva millennials destes países, com o objetivo de construir laços duradouros com esses consumidores. O estudo revelou que a independência financeira é a prioridade desta geração. Isso talvez seja explicado pelo fato de que 67% dos millennials latino-americanos estão passando por instabilidades financeiras.

    Os números mostram também que 64% dos entrevistados adotam comportamentos que desafiam o status quo. “A importância da tecnologia para os millennials e a confiança que possuem em seu potencial para resolver problemas (do mundo) faz da tecnologia digital o principal meio pelo qual as instituições financeiras podem relacionar-se com esse público”, explica Ana Ferrell, Vice-presidente sênior, Marketing e Comunicações, da Mastercard América Latina.

    Como um grupo, os millennials querem construir uma sociedade mais robusta. Cerca de 44% dos entrevistados sentem que sua geração está mais envolvida em suas comunidades, em comparação com gerações anteriores. Para 71% dos entrevistados, o trabalho deve envolver algo que tenha significado em suas vidas. No Brasil, um em cada três entrevistados declarou dedicar tempo a uma atividade social ou a uma causa.

    Com relação às mulheres, 85% das mulheres entrevistadas acreditam que não teriam o mesmo nível de educação sem acesso à tecnologia digital. Além disso, 52% acreditam que a tecnologia digital tem o poder de resolver muitos dos problemas que a sociedade enfrenta.

    Um em cada três entrevistados consideram-se pioneiros na adoção de novas tecnologias. Os dispositivos móveis são o principal meio de capacitação, e o público da amostra passa uma média de 18 horas por dia consumindo conteúdo multimídia, compartilhado, principalmente, por seus amigos.

    Com relação ao Brasil, 32% dos entrevistados dizem que dedicar seu tempo a uma causa social no qual acreditam é uma prioridade e 74% pesquisam produtos online antes de finalizar uma compra. Metade deles diz que seu banco não atende ás suas expectativas.

    Comportamento de consumo indicado na pesquisa:
    65% pesquisam produtos online antes de finalizar uma compra.
    62% estão sempre à procura do melhor preço ou alguma oferta.
    49% não estão satisfeitos com as opções de pagamento disponíveis
    46% emprestariam seu cartão de crédito a amigos
    45% querem a oportunidade de usar opções de pagamento digitais com mais frequência, embora muitas lojas não as aceitem
    35% portam dinheiro apenas porque existem lojas que somente aceitam esse meio de pagamento
    2 entre 5 millennials só compram produtos alinhados aos seus valores
    54% dos millennials preferem comprar produtos de empresas socialmente responsáveis.

    Fonte: Consumidor Moderno

    Sobre o autor:
    Patricia Borges
    Patricia Borges
    Editora e proprietária da Revista Ágora. Estudou Gestão da Comunicação Integrada/Publicidade e Propaganda na instituição de ensino PUC Minas Arcos. Alguém que acredita que mais importantes que as repostas, são as perguntas que a gente faz.
Tutores Hicks Aretesanais Sorrir Planta e La Griffe